Fish

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

SAÚDE DO HOMEM

PRIAPISMO-UMA DISFUNÇÃO ERÉTIL


Conhecida cientificamente por priapismo, a ereção prolongada, involuntária e não associada a qualquer estímulo sexual, é uma condição médica na qual o pênis ereto não retorna ao estado flácido naturalmente. Considerada uma emergência médica, a condição pode causar um quadro de impotência sexual definitiva.
» Saiba o que é e como tratar
a impotência sexual 

» Entenda a ejaculação precoce
e saiba como resolvê-la 

» Chat: tecle sobre o assunto

"Essa ereção involuntária pode ser espontânea ou causada por algum agente usado pelo paciente, como as medicações injetáveis no pênis, que são usadas para a ereção", explica o urologista do Hospital Albert Einstein, Wilson Ferreira Aguiar.

O médico salienta ainda que traumas na região do períneo também levam ao priapismo. Após tombos ou quedas com lesão na área entre a bolsa escrotal e o ânus, pode surgir uma fístula responsável por deixar o pênis sempre cheio de sangue e, conseqüentemente, ereto. "Esse é um tipo considerado mais benigno, pois o sangue que fica no pênis é rico em oxigênio. Mas ainda assim é importante que se procure o médico o quanto antes", comenta Aguiar.

Homens que fazem uso de medicamentos injetáveis para ereção sem acompanhamento médico e em dosagens elevadas também correm o risco de ter priapismo. "Tanto o medicamento injetável como o em comprimido podem causar uma ereção involuntária, se usados em quantidades exageradas", comenta o urologista do Hospital do Servidor Público Estadual, Eduardo Bertero.
Conseqüências do priapismo
Com ereções que chegam a durar até 24 horas seguidas, o priapismo pode trazer seqüelas graves ao homem, caso não tratado a tempo. "A ereção não deve ultrapassar quatro horas. Depois disso, o homem corre o risco de ter fibrose, necrose, destruição do corpo cavernoso e impotência definitiva", explica Bertero.

Quanto maior a demora na procura de um médico, maiores são os riscos de seqüelas graves ao homem. "Na maioria das vezes, quando não tratado, o pênis não volta ao estado flácido. Passadas seis horas de ereção constante, já se começa a ter lesões teciduais. Com 24 horas de ereção, é quase uma certeza que o quadro vá evoluir para uma impotência sexual", alerta Aguiar.
Tratamentos para a ereção prolongada
Os tratamentos para o priapismo variam de acordo com suas causas. Nos casos onde houve uma lesão da região do períneo, a saída é fechar a artéria que sofreu um rompimento após o trauma.

Já quando a ereção prolongada é causada por doenças como a anemia falciforme ou pelo uso de medicamentos injetáveis, uma opção é fazer a drenagem dos corpos cavernosos, por meio de um método um pouco mais agressivo. "Se faz uma sangria para lavar o pênis, retirando-se uma quantidade de sangue e aplicando uma quantidade igual de soro. É um processo doloroso", comenta Bertero.
Possíveis causas:
- Homens negros que tenham anemia falciforme;
- Leucemia;
- Medicamentos injetáveis para ereção;
- Queda com lesão do períneo (tombos de skate e bicicleta, por exemplo);
Serviço:
Eduardo Bertero - urologista
www.urologia-sp.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário